Education in virtual/real worlds

my second life and the first one

Livro sobre SL em castelhano

A minha querida colega e amiga Ruth Martinez aka AureA Memotech, já várias vezes referida neste blogue, não pára!

Agora surpreende-nos com um livro sobre Second Life. Não tenho ideia que algo semelhante já tenha sido escrito em português… (se por acaso conhecerem, digam!).

Estou muito curiosa sobre o livro da Ruth que deve estar a chegar na minha caixa de correio a qualquer instante….

Advertisements

November 24, 2007 Posted by | Papers, Second Life®, SL®Education | , , , | Leave a comment

SIIE’2007

O SIIE’2007 – IX Simpósio Internacional de Informática Educativa – está a decorrer no IPPorto, como já anunciara no post de 16 de Junho e no qual incluí o artigo que, nessa altura, enviara para apreciação.

Esse trabalho foi aceite e apresentado hoje no Simpósio, 15 Novembro 2007. Tal como prometi a todos os presentes, aqui fica o ficheiro que acompanhou a apresentação oral efectuada: Mundos virtuais de aprendizagem e de ensino – uma caracterização inicial

Desde já, quero expressar o meu agradecimento a todos quantos assistiram, participaram e manifestaram um interesse entusiástico no trabalho.

O artigo publicitado neste blogue, no tal post de 16 de Junho, sofreu apenas pequenas alterações. Mesmo assim, deixo aqui o artigo final: Mundos virtuais de aprendizagem e de ensino – uma caracterização inicial (paper)

Para quem estiver interessado na referência, esta deverá ser:

Bettencourt, T. e Abade, A. (2007). Mundos virtuais de aprendizagem e de ensino – uma caracterização inicial. in Marcelino, M.J. e Silva, M.J. (org.) Actas do IX Simpósio Internacional de Informática Educativa, pp.37-42 (CD-ROM, ISBN: 978-972-8969-04-2)

Um abraço a todos! 🙂

Fico a aguardar comentários! 🙂

November 15, 2007 Posted by | Congress, Education, Papers, Second Life®, SL®Education | , , | 6 Comments

Qual o interesse de construir um caldeirão de bruxas?

Esta questão foi-me colocada por vários colegas da real life (RL) que passam os olhos por este blogue e também por vária(o)s amiga(o)s em SL.

Para uns e para outros, a resposta é comum, apesar de quem tiver experiência “in-world” poder estar em condições de compreender melhor. Vou tentar explicar a “coisa” direitinho.

1ª resposta – objectivamente, ensinar a construir um caldeirão de bruxas não tem interesse nenhum! Tal qual em RL, descascar e cortar habilmente uma abóbora e colocá-la, com uma vela no interior, num sítio do exterior da casa, visível a todos, também não terá interesse nenhum! (aqui no sítio onde moro, eram inúmeras! Fantástico! Acho mesmo que só aqui! 😉 )

reflexões sobre a 1ª resposta – as pessoas gostam de viver os momentos e as épocas festivas em curso. Isso passa-se na RL e na SL. Logo, construir um caldeirão de bruxas… foi uma aula que se enquadrava na quadra (a redundância foi propositada). Em termos didácticos podemos ver aqui uma aproximação ao que se chama uma perspectiva CTSA do ensino e da aprendizagem (CTSA = Ciência/Tecnologia/Sociedade/Ambiente). Esta perspectiva visa um ensino virado para a utilidade prática dos assuntos a ensinar, partindo das realidades das sociedades e para dar solução aos problemas dessas mesmas realidades.

2ª resposta – construir um caldeirão de bruxas, ou qualquer outro objecto em SL (o tipo de objecto agora não interessa), é uma oportunidade para as pessoas desenvolverem competências de criatividade, de aplicações das potencialidades disponíveis “in-world” e de criarem algo seu.

reflexões sobre 2ª resposta – as pessoas para viverem plenamente as suas vidas, quer em SL, quer em RL, precisam de ter um mínimo de autonomia, para não dizer, que deveriam todas conseguir ser plenamente autónomas! Neste tipo de aulas, independentemente do objecto a criar, as pessoas aprendem a trabalhar com as ferramentas que lhes permitem vir a conquistar essa autonomia em SL! (isto é, em vez de comprar, construo!)

3ª resposta – a partir do momento em que as pessoas sabem construir um objecto, neste caso um caldeirão das bruxas (sem interesse, mas enquadrado na época, mais as competências que desenvolveram), passaram a ter algo seu que podem colocar à venda com toda a legitimidade!

reflexões sobre a 3ª resposta – a autonomia de que falava antes, agora, adquire uma nova dimensão. Este tipo de aulas permite que as pessoas possam passar a ter algo para vender e, por conseguinte, algo que contribua para as suas finanças! Do ponto de vista ético, não há nenhum problema porque o objecto foi construído pela pessoa. Os beneméritos aqui são os formadores, ao disponibilizar materiais e ao ensinarem os procedimentos para a construção do objecto.

Em conclusão…. aulas como “Construção dum caldeirão de bruxas” ou outra qualquer construção só aporta vantagens! 🙂

Continuem a aparecer!

(sirpunk e jao, foram o máximo! Os vossos caldeirões ficaram lindíssimos!)

November 6, 2007 Posted by | Second Life®, SL®Classes | 2 Comments