Education in virtual/real worlds

my second life and the first one

A 1ª universidade portuguesa em SL foi a UTAD (I)

Todos ouviram e sabem que a 1ª universidade portuguesa com um espaço/edíficio próprios em SL foi a Universidade de Aveiro (UA). Todos já sabem que a 2ª universidade portuguesa com um espaço/edíficio próprios em SL vai ser a Universidade do Porto (UP). Mas, se calhar, nem todos sabem que, antes destas e sem desprimor para o trabalho de ambas, já Leonel Morgado aka Andabata Mandelbrot, docente e investigador da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) andava a leccionar as suas aulas de programação em SL! Ou… sabem, se tiverem lido a revista do Expresso nº1795, de 24 de Março de 2007, pp. 28-33.

Logo, a 1ªuniversidade portuguesa em SL foi a UTAD, através do trabalho de Leonel Morgado, coadjuvado pelos seus colegas Benjamim Fonseca e Paulo Martins!

utad_labinf_03.jpg

A questão dos edíficios, dos espaços próprios, adquiridos e reconhecidos institucionalmente… são aspectos importantes para a visibilidade, presença, marca e publicidade duma dada entidade, certo! Mas que interessa isso quando comparado com uma experiência sólida e profícua de trabalhos de investigação publicados (ver novos links no blogroll papers e posts que se seguirão) todos advindos duma vasta prática educativa implementada em SL?

Andabata Mandelbrot, nascido em SL numa data emblemática – 25 de Abril de 2006, começou a aproveitar as potencialidades educativas de SL em Maio de 2006, com os seus alunos de doutoramento.

A partir de Fevereiro de 2007, Andabata passou a trabalhar com os alunos do 2º ano de Licenciatura, numa parcela de terreno comprada por si a Anshe Chung, designada “Laboratório de Programação – UTAD, Portugal”. Se seguirem o SLurl vão cair num pequeno lago. Procurem o teleport localizado numa rocha perto do lago com o título “Acesso à sala da UTAD”.

Eis aqui algumas fotos do que podem encontrar, todas elas espelhando os trabalhos desenvolvidos e/ou em curso:

utad_labinf_07.jpg
O local para entrega de trabalhos no âmbito de projecto descrito no cartaz;

utad_labinf_04.jpg
Outro projecto;

utad_labinf_09.jpg
O script que identifica um avatar a menos de 2 metros;

utad_labinf_11.jpg
Onde os alunos fazem a entrega dos trabalhos desenvolvidos ao docente.

Simultaneamente à aquisição do terreno descrito, os alunos de doutoramento com quem Andabata iniciara os trabalhos em SL, tomaram a iniciativa de alugar novo terreno, localizado noutra ilha, destinado à formação dos alunos do 1º ano da Licenciatura (actualmente, esses alunos encontrar-se-ão agora no 2º ano).

Da ilha de Soma, recolhi estas imagens, também elas reveladoras de que os trabalhos continuam, pela proliferação de objectos criados, certamente com scripts que uma leiga na matéria nem alcança:

utad_soma_001.jpg

utad_soma_003.jpg

Actualmente, Andabata, por uma “gentil cedência da ARCI” (Associação Recreativa para a Computação Informática), tem disponível um terreno mais vasto para levar a cabo as suas experiências e explorações no ensino da programação. Tem também previsto o início da presença virtual da UTAD em SL para Janeiro de 2008.

O historial sobre o trabalho de Leonel Morgado e seus colaboradores em SL, enquanto docentes e investigadores da UTAD, vai continuar [como se antevê pelo (I) incluído no título do post].

De momento, o importante a salientar no trabalho desta equipa é a sua ordem de prioridades: começaram por optimizar o SL na área do ensino/prática da programação, explorar o SL com vista a uma aprendizagem significativa, ultrapassar as dificuldades dos alunos pelo recurso a novas metodologias de ensino baseadas na exploração integrada dos mundos virtuais, despreocupados de presenças físicas institucionais. Este último aspecto virá depois, numa sequência natural do processo.

Leonel, Benjamim, Paulo… doutorandos…. alunos envolvidos…. Digam-me se retratei bem a vossa história, acrescentem episódios que apenas vós conhecem, partilhem conosco as vossas experiências ..

A todos, por dentro ou por fora do assunto, que queiram dar uma força a esta equipa… deixem o vosso contributo!

December 15, 2007 Posted by | Education, Second Life®, SL®Classes, SL®Education | 4 Comments

Edifícios em SL vs prospectiva educativa ou imagem de marca?

A propósito do post efectuado pelo PalUP Ling em que a questão “Como deve ser um Campus em Second Life?” é levantada e, depois de ter deixado lá o meu comentário, tenho vindo a reflectir sobre o assunto.

Vou permitir-me fazer uma duplicação, neste post, do comentário efectuado, mas salientando que, para perceberem o seu contexto, deverão ler o post do PalUP, assim como os restantes comentários efectuados por outros. Na sequência, seguirei o meu raciocínio sobre os edíficios em SL e sua relação com os objectivos que estes parecem querer privilegiar.

O meu comentário ao post do PalUP foi este:

<< Esta questão é uma agulha de dois bicos.

Já visitei muitos campus universitários em SL (passei por quase todas as universidades americanas em SL, MIT incluído). A maioria apresenta réplicas dos seus edíficios reais.

Nas visitas efectuadas, não pude deixar de fazer um “about land” e apreciar o tráfego. A maioria das instituições por onde passei tinha um tráfego baixíssimo, nunca superior a 10 e, em alguns casos, tráfego zero (a minha presença deve ter feito dispará-lo para 1)! Perguntei-me, na altura, para que querem isto aqui? Para que serve isto? O que farão aqui?

Posteriormente, tive oportunidade de encontrar uma professora de uma das instituições que visitara (altamente conceituada) e perguntei-lhe se ela utilizava o espaço para dar aulas ali. A resposta foi imediata, qualquer coisa do tipo (não recordo as palavras exactas): “Aqui não! Isto é para visitar e todos poderem ver os nossos projectos. Eu dou aulas onde quero, depende… geralmente prefiro os jardins!”

Parece haver, de facto, uma necessidade de mimetização com vista a uma marca e presença institucionais, promocionais, etc, tal como descreves, PalUP.

No âmbito da educação, este assunto torna-se delicado na medida em que faz uma tangente com a questão da replicação de aulas da RL para SL – um edíficio com salas iguais às da vida real só poderá estar destinado à leccionação de aulas na mesma linha, numa promoção de “mais do mesmo” agora em formato digital (uau)! Lá se perde toda a riqueza e potencialidades que SL nos oferece e se recusa o desafio à criatividade e originalidade que esta incentiva.

Por outro lado, se as pessoas ao entrarem não reconhecerem nada… podem sentir-se perdidas e sofrer de “choque” cognitivo, ou desequilíbrio, como tu dizes (apesar desta questão poder ser deambulada por uma sólida formação inicial em RL sobre SL, aspecto que me preocupa sobremaneira).

E chego à agulha de dois bicos: o pôr-do-sol em SL não teria beleza nenhuma senão tivessemos o referente dos belos pores-de-sol que a RL nos oferece; o som das ondas a rebentar em SL, não teria significado se não o conhecessemos da RL; as árvores a abanar ao vento não passariam de objectos irrequietos se nunca tivessemos passado por um dia ventoso em RL…. etc,…etc….

Há sempre um referente da RL que dá sentido às nossas vivências em SL…. mas fará sentido reproduzir em SL todas as referências da RL?

Não sei como deve ser “desenhado” um campus universitário. Não tenho resposta, nem sei se alguém terá. Sei que por detrás de qualquer “desenho”: i) existirão objectivos (que poderão ir desde questões de marketing ao desejo genuíno de inovar); ii) demarcam-se posições epistemológicas face às actividades educativas que se pretendem levar a cabo; e iii) identifica-se a visão prospectiva das potencialidades educativas da SL subjacente. >>

 

 

Após este comentário, fiz novas buscas, visitei os mesmos e novos lugares académicos in-world, consultei vários blogues de índole educativa e cheguei a um vídeo que desejo partilhar convosco. Esse vídeo salienta as potencialidades educativas de SL para o ensino das Ciências. Poderão verificar que o menos importante ali é o que respeita aos edíficios. O que importa são as ideias e a interactividade criada com a pessoa, tendo em vista confrontá-la com algo de inovador e promotor de uma dada aprendizagem. A imagem de marca aparece através de cartazes discretos ou do nome da instituição, mas não pelo edíficio! Aqui fica a ligação para o referido vídeo.

Outras situações e áreas do conhecimento há em que os edíficios mimetizantes da realidade são fundamentais. É o caso da Capela Sistina, ou a reprodução de obras de arte, onde o utilizador pode introduzir-se e apreciar com outros olhos e sentidos as pinturas. Esta replicação tem implícita a optimização das potencialidades educativas da SL. Neste caso, é mesmo preciso mimetizar a RL ao bit.

Em conclusão, a questão dos edíficios parece estar dependente da prospectiva educativa que se detém da SL e do peso relativo atribuído às preocupações de marketing/imagem, etc….

O que têm a dizer sobre isto?

December 6, 2007 Posted by | Second Life®, SL®Classes, SL®Education | , , , , | 2 Comments

Academia Portucalis com “Breve resenha histórica”

Como todos sabem, tenho vindo a dar algumas aulas na Academia Portucalis. Se antes, e por causa da investigação que tenho em curso, fui aluna em várias escolas existentes em SL, quando a Academia foi fundada, passei ao papel de formadora. Ambas as experiências foram e têm sido altamente enriquecedoras, pois têm vindo a permitir compreender as necessidades, os constrangimentos, as exigências inerentes a cada papel assumido. Sobretudo, tenho vindo a perceber com maior clareza a “força” das interacções sociais que se estabelecem por estarmos num ambiente imersivo e a sentir que os ganhos adquiridos nessas situações podem ter reflexo nas nossas práticas em RL!

Mas ainda não é por aí que eu queria ir! 🙂

O que quero mesmo salientar é este facto extraordinário de a Academia Portucalis já se permitir fazer uma “Breve resenha histórica“!!! e, ao analisar a agenda das actividades levadas a cabo, encontrar uma certa maturidade no que conseguiram concretizar.

É certo que posso ser suspeita nesta apreciação, na medida em que sou formadora lá e, algumas vezes, também dei a minha opinião sobre as aulas a realizar. No entanto, o que agora escrevo é com toda a isenção, numa análise do exterior, com estes óculos de investigadora em Didáctica.

Da análise sobre as actividades concretizadas durante 2007 e o descrito no referido post, ocorrem-me os seguintes comentários:

i) a oferta de formação começou por ser diversificada, abordando temáticas distintas, sem uma lógica interna visível ou explícita, mas com um denominador comum: dar resposta a várias primeiras necessidades de qualquer cidadão SL! Há aqui um desejo manifesto de facultar aos participantes conhecimentos básicos de vivência em SL que lhes permita vir a progredir e adquirir autonomia nas suas experiências SL. Isso é notório pelas duas sessões de Perguntas e Respostas realizadas no início, assim como se percebe pelas temáticas abordadas nas restantes aulas;

ii) no último mês, a oferta de formação concentrou-se numa única temática (com efeitos bem visíveis aos olhos de todos, pela exposição aberta na Galeria LX) indiciando que a “primeira” formação foi conseguida e, por isso, passou a ser possível organizar e abrir um Curso num dado tema.

iii) cronologicamente passaram de aulas, aparentemente, avulso para a oferta dum programa com princípio, meio e fim! Este é o maior sinal de maturidade que falava antes!

O desejo de querer corresponder às necessidades dos amigos da Academia volta a fazer sentir-se agora, pela auscultação pública sobre as temáticas que estes desejam ver abordadas no calendário do próximo ano lectivo! Vamos a ver o que de lá virá! Eu continuarei sempre disponível, com o maior dos orgulhos! 🙂

Parabéns à Academia Portucalis!

December 3, 2007 Posted by | Second Life®, SL®Classes, SL®Education | , , , | Leave a comment

Concurso para as instalações da Universidade do Porto em SL está quase a terminar!

Certamente todos recordarão que, em Julho deste ano, PalUP Ling anunciou aberto o concurso para a construção das futuras instalações da Universidade do Porto em SL! Reportei a iniciativa neste post, onde podem encontrar os respectivos links.

Cheia de curiosidade (o prazo está quase a terminar)… fui visitar o espaço e apreciar os desenvolvimentos dos trabalhos nas várias skyboxes construídas para o efeito.

Fiquei fascinada… por vários motivos!

i) A maioria, senão a totalidade, das skyboxes está ocupada com trabalhos em curso.

up_skybox_01.jpg

ii) Das duas vezes em que estive no local (ambas em fins-de-semana e “fora de horas”), encontrei sempre alunos a trabalharem!

up_skybox_03.jpg

iii) Indigando os alunos sobre as suas áreas de formação identifiquei grupos que congregavam Belas Artes, Música e Matemática; ou Engª de Telecomunicações, Engª de Gestão Industrial e Belas Artes!

up_skybox_02.jpg

Estes três aspectos são dignos de nota na medida em que revelam, não só, a adesão ao desafio proposto, como também o espírito de iniciativa e empenho dos alunos que, numa espécie de auto-gestão, se organizaram em grupos e deitaram mãos à obra!

Este concurso tem mais uma curiosidade… tal como o PalUP me explicou, os votos vão ser deixados num cubo!

Não, não é nada disso que estão a pensar! Não é uma urna, em forma de cubo, com uma ranhura em cima onde se introduz o voto, não!

É um cubo onde se entra! Uma vez dentro do cubo, iremos poder apreciar as várias propostas a concurso e votar na que se deseja. Enquanto isso, estaremos imersos em belas paisagens da Ribeira do Porto! 🙂

up_cubo_de_fora.jpg

Também tenho fotos tiradas dentro do cubo, mas…. não as vou publicar…. terão de lá ir para verem pelos vosso próprios olhos! 😉

O cubo como “urna de voto” é uma metáfora que merecia uma explicação mais cuidada e detalhada… Pensem por vós: quantos cubos há na cidade do Porto? Qual a interactividade entre esses cubos e a população? Que relação se estabelece entre os cubos e a cidade?

Não vou responder! Em SL, e no espaço da UP, o cubo é aquele local onde cada um entrará individualmente, porque o voto é pessoal, poderá apreciar todas as opções de voto que se lhe oferecem, num contexto 3D da cidade do Porto, e optar. Mais! Liberdade de escolha absoluta. Se alguém desejar alterar o seu voto também o poderá fazer! 🙂

As propostas dos alunos serão entregues até ao final desta semana e o período para votação é lá mais para o meio de Dezembro! Qualquer cidadão SL pode votar!

Termino este post, como terminei o de Julho mencionado anteriormente:

Parabéns, PalUP Ling! 🙂

December 3, 2007 Posted by | Education, Educational Links, Second Life®, SL®Education, Universities & Schools at SL® | , , | 2 Comments